29 de set de 2010

ISSO NÃO PODE!

Sl. 4: 4
Irai-vos e não pequeis; consultai no travesseiro o coração e sossegai”.
“Tremei, mas sem pecar; refleti em vossos corações, quando estiverdes em vossos leitos, e calai”.
“Perturbai-vos e não pequeis; falai com o vosso coração sobre a vossa cama, e calai-vos”.
Irar-se, tremer e perturbar-se sem pecar? Como?
O verbo hebraico ragaz, que no texto primeiro é traduzido como ira, indica comoção.
Pode ser física ou psíquica, mas afeta toda a estrutura humana. Já o verbo jatá, que neste salmo é traduzido como pecar, significa literalmente “errar o alvo”. Quer dizer que cada vez que a ira toma posse do meu ser, queira ou não, “erro o alvo”. Não chego aonde queria chegar e, na maioria das vezes, chego aonde não queria chegar.
O conselho divino é: quando a ira aparecer e estiver afetando física e mentalmente, “consultai no travesseiro o coração e sossegai”. Nada melhor para o problema da ira do que esperar pelo dia seguinte.
Não posso “errar o alvo”, me machucando ou machucando o próximo, abrindor feridas no coração das pessoas que amo e que estão à minha volta. Preciso medir minhas palavras. Pensar nas conseqüências de atos impulsivos. Não posso evitar sentir a ira. Isso é natural, pois sou humano.
Quando alguém me contraria, faz algo indevido contra mim ou me ataca, é natural que isso altere o meu ser. Mas devo seguir o conselho divino.
Este mesmo conselho é encontrado em Ef. 4:26. Lá a expressão “não se ponha o sol” tem o mesmo sentido de “consultar o coração no travesseiro”. Mas no verso 27 um alerta é dado “não deis lugar ao diabo”.
Quando a ira me domina, o diabo ganha território. Isso não pode!


Nenhum comentário:

Postar um comentário