18 de jul de 2010

FALA SENHOR!


Hoje é o último culto da Beca e da Bruna. Quarta elas estarão partindo para a JOCUM no Recife. 
A Beca, dando continuidade ao seu chamado missionário, a Bruna, "conferindo" o seu chamado. 
Pra mim, duas crianças, na "flor" da idade, dando as "primíçias" de suas vidas ao Senhor.
Lembro de 1980 quando eu tinha 18 anos e disse sim ao chamado divino. Olhando para elas agora, mesmo preocupado como pai e pastor, fico cheio de "orgulho" em vê-las dizendo sim também.
Estes fatos me levaram a meditar sobre um jovem que, no passado, também serviu ao Senhor: Samuel.
I Sm. 3: 1-4Samuel ainda era menino e ajudava Eli na adoração a Deus, o Senhor. Naqueles dias poucas mensagens vinham do Senhor, e as visões também eram muito raras. Certa noite Eli, já quase cego, estava dormindo no seu quarto. Samuel dormia na Tenda Sagrada, onde ficava a arca da aliança. E a lâmpada de Deus ainda estava acesa”.
Quero destacar algo muito importante nesse texto: “O jovem Samuel servia ao SENHOR”. 
Muitos jovens não pensam nisso. Muitos jovens têm outros desejos e outros sonhos. Muitos jovens só pensam em se divertir, se formar, conquistar um emprego namorar. Então, o fato do jovem Samuel servir ao SENHOR, deve chamar a atenção. Não apenas pelo fato de que ele era jovem, mas também por algumas outras razões.
O contexto dessa passagem mostra que Samuel estava longe da sua família. Sua mãe, Ana, que era temente a Deus, tinha deixado o pequeno Samuel no templo de Deus em Siló. Parece que apenas uma vez por ano a família vinha visitá-lo, então, na hora de enfrentar dificuldades, o pequeno Samuel não tinha a família por perto.
Além do mais, observamos que o ambiente onde ele vivia não era nada propício para servir ao SENHOR. Mesmo vivendo na casa de Deus, os "modelos" de Samuel, o sumo sacerdote Eli e seus filhos Hofni e Finéias, eram uma vergonha. 
Eli era um fraco, não repreendia seus filhos, os quais cometiam extorsão e prostituição na casa de Deus. Era uma situação terrível, uma situação insuportável para Deus. Por isso Deus já tinha decidido que exterminaria a casa de Eli (2: 25).
Deus também deixou de manifestar-se como antes. Antes homens de Deus falavam a Palavra do SENHOR. Antes homens de Deus recebiam visões. Desta maneira Deus se manifestava e revelava a sua santa vontade e lei ao seu povo. Mas nos dias de Eli, Deus, não suportando mais a perversidade e a imoralidade, se retirou. Por isso lemos: “A Palavra de Deus era mui rara; as visões não eram freqüentes”. Era um castigo de Deus. Deus estava retendo a sua santa Palavra, pois ele estava muito irado por causa da maldade e imoralidade dos líderes espirituais. Naqueles dias, quando Samuel estava servindo ao SENHOR, a Palavra de Deus era como se fosse uma lâmpada quase apagada. As trevas estavam prevalecendo. O responsável principal, o sumo sacerdote Eli, não se incomodava com isto. “Os olhos dele já começavam a escurecer-se, a ponto de não poder ver”. Eli estava ficando cada vez mais cego por fora e por dentro.
Ele não enxergava mais nada. Ele estava de “olhos fechados” enquanto os seus filhos cometiam atos ofensivos na casa de Deus. Ele ouviu os comentários do povo, mas não se incomodou. Afinal, esses dois não eram os seus filhos?
Onde a Palavra de Deus falta, não há luz: As pessoas se tornam cegas e perdidas.
Como é surpreendente que naquele ambiente extremamente desfavorável à piedade, havia alguém que levava o Senhor Deus a sério: o jovem Samuel! 
O sumo sacerdote Eli só pensava em levar uma vida mansa e tranqüila.
Os seus filhos só pensavam em extorsão, bebidas, churrasco e mulheres. Mas o jovem Samuel servia ao SENHOR, todos os dias, sem se desviar nem para a direita, nem para a esquerda. 
Numa certa noite, quando o sumo sacerdote Eli e o jovem Samuel já estavam deitados, aconteceu algo muito especial. A lâmpada de Deus estava quase apagada. Faltava pouco tempo para tudo ficar no escuro. Mas de repente brilhou luz nas trevas! Alguém chamou Samuel, dizendo: “Samuel! Samuel”. Porém, o jovem Samuel não sabia quem chamava, pois nunca antes isso tinha acontecido. Então, o jovem, quando foi chamado, pensava que era Eli. Logo Samuel respondeu: “Eis me aqui” e correu a Eli. Mas Eli disse: “Não te chamei, meu filho, torna a deitar-te”. Porém, o Senhor chamou Samuel de novo! Novamente Samuel foi a Eli. E novamente Eli lhe disse: “Não te chamei, meu filho, torna a deitar-te” . Deus, pois, tornou a chamar Samuel, terceira vez, e novamente Samuel foi a Eli. “Então Eli entendeu que era o Senhor quem chamava Samuel”.
O sumo sacerdote Eli, o responsável principal pela casa de Deus, demorou em reconhecer a voz do SENHOR Deus! Eli vivia totalmente desligado de Deus. Deus não estava nos seus pensamentos. Só depois de três vezes, Eli entendeu que era a voz de Deus. Então ele disse o seguinte a Samuel: “Vai deitar-te; se alguém te chamar, dirás: Fala SENHOR, porque o teu servo ouve”.
Apesar de todos os defeitos dele, agora ele falou palavras boas. Estas palavras são palavras de ouro. 
Onde as pessoas ficam acomodadas, não se assustando mais com pecado nenhum, onde a indiferença e a cegueira espiritual tomam conta da convivência, é preciso que alguém diga: “Fala, Senhor, porque o teu servo ouve”. Pois a Palavra do Senhor é luz nas trevas. A Palavra de Deus ilumina os olhos.
Onde todos estão perdidos, roubando, bebendo, se prostituindo e se esquecendo de Deus, a Palavra de Deus é o único e último recurso. É só pela Palavra que as trevas se dissipam. Por isso, precisamos sempre declarar em tempo e fora de tempo: “Fala, SENHOR, porque o teu servo ouve”! 
Onde não se escuta a Palavra, as trevas dominam. Podemos até dizer: onde não se escuta a Palavra de Deus, tudo acaba em desgraça e morte. Mas onde se recebe a Palavra de Deus, lá brota nova vida.
Quando Deus chamou novamente, Samuel respondeu como Eli tinha ensinado.  Ele se tornou uma grande bênção para a nação de Israel. Ele se tornou um pregador da Palavra, uma pessoa muito honrada em Israel.
 A Palavra de Deus gera futuro para qualquer um que a ouve e recebe com carinho. Pois “o Senhor Deus tem prazer em que se obedeça à sua Palavra” (1 Sm. 15:22).
Esta é uma lição fundamental que devemos aprender. Deus se alegra quando vê homens, mulheres, jovens, obedecendo A Sua Palavra.
Quando durante aquela noite o SENHOR Deus chamou o jovem Samuel, ele lhe deu a seguinte mensagem: “Eu vou fazer uma coisa em Israel, a qual todo o que a ouvir lhe tinirão ambos os ouvidos. Naquele dia, suscitarei contra Eli tudo quanto tenha falado com respeito à sua casa; começarei e o cumprirei. Porque já lhe disse que julgarei a sua casa para sempre, pela iniqüidade que ele bem conhecia, porque seus filhos se fizeram execráveis, e ele os não repreendeu” (3:11, 14).
Deus fez Samuel conhecer a sua ameaça contra Eli e seus filhos perversos, os quais eram responsáveis pela decadência da casa e do povo de Deus. Por que Deus fez isto? Por que Deus assustou o jovem Samuel com uma mensagem tão dura? Por que Samuel logo tinha que saber que o SENHOR estava decidido a acabar com o sumo sacerdote Eli e seus dois filhos?
O SENHOR Deus tinha dois objetivos.
Primeiro: Deus quis mostrar o fim daqueles que são rebeldes e rejeitam a Sua palavra. Ele quis mostrar ao pequeno Samuel que aquele que não quer ouvi-lo, não tem futuro.
Segundo: Deus quis que o pequeno Samuel ficasse consciente de que a sua Palavra é fiel. Por isso, com antecedência, anunciou o desastre que atingiria Eli e seus filhos. Mas tarde Samuel conferiria que a Palavra de Deus é verdadeira e que “Deus não mente, nem se arrepende, porquanto Deus não é homem, para que se arrependa” (1 Sm. 15:29). Realmente, tudo que Deus falou a respeito de Eli e sua casa aconteceu. Em um só dia morreram Eli e seus dois filhos.
A lição para o jovem Samuel foi clara: Ele aprendeu com isso que só há futuro para quem anda nos caminhos do Senhor, obedecendo humildemente à sua vontade. 
Quem obedece à Palavra de Deus tem futuro, mesmo sendo jovem, mesmo vivendo longe da família, mesmo vivendo num ambiente cheio de bebidas e prostituição. Pois a Palavra de Deus é luz para seu caminho. Quem ama a Palavra de Deus, jamais será abalado. Mas quem rejeita a vontade de Deus, como o sumo sacerdote Eli e seus dois filhos perversos, não tem futuro.
O destino daquele que rejeita a Palavra de Deus é descer, sem graça nenhuma, no reino dos mortos. Samuel aprendeu tudo isto quando ainda era jovem. Ele aprendeu o mais importante para jamais ficar envergonhado: ele aprendeu a servir ao SENHOR Deus, andando em seus caminhos, amando a sua Palavra.
Podemos aprender uma lição muito importante pois a mesma verdade se aplica também as nossas vidas. Que recebe a Palavra de Deus com carinho, querendo servir ao Senhor Jesus Cristo, tem futuro. Pois com a Palavra de Deus, se anda na luz.
Com a Palavra de Deus, vencemos todos os desafios. Com a Palavra de Deus, não somos fracos, mas fortes.
Ficar com a Palavra de Deus, entregar-se ao Senhor Jesus Cristo, servir a Ele, cumprir suas ordens. Dizer sempre no coração: “Fale, SENHOR, porque o teu servo ouve” traz luz para as nossas vidas. 
Jovens, tenham coragem de seguir o exemplo de Samuel. Tenham coragem de surpreender os outros. Não tenham vergonha de serem cristãos. Não tenham medo de responder o chamado divino para suas vidas. Dêem o melhor de vocês para Deus. Estejam prontos para servir o Pai onde Ele chamar. Dêem as “primícias” de suas vidas ao Pai, ao Reino, ao perdido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário