7 de ago de 2010

ENSINO

No aprendizado da Palavra de Deus encontramos ensinos para todas as áreas de nossa existência.
Ela nos ensina sobre relacionamentos interpessoais (com Deus, com seres espirituais, conosco e com outros seres humanos).
Ela nos ensina sobre a criação do universo, a queda do homem e o plano de salvação do mesmo arquitetado por Deus na eternidade.
Também nos ensina, ainda que parcialmente, sobre a natureza divina, dando vislumbres da grandeza do Deus triúno e do amor incondicional dele por nós. Somente na eternidade conheceremos o Pai em toda a sua majestade e grandeza.
Por estas e por outras razões necessitamos conhecer a Palavra de Deus.
Como cremos que a Bíblia não “contém” a Palavra de Deus, mas “é” a Palavra de Deus, nada nela é “por acaso”. Nenhum ensino, fato, personagem, registro e palavra está nela em vão.
Até mesmo a repetição de palavras, sua quantidade e posicionamento foi planejado por Deus.
Deixando de lado o engano de que a expressão “não temas” é encontrada 365 vezes na Bíblia, uma para cada dia do ano, quando na verdade essa expressão existe 84 vezes na versão Almeida Corrigida Fiel e 92 vezes na versão atualizada (basta contar), a quantidade e posicionamento de outras expressões e palavras nos trazem ensino também.
Por exemplo, a palavra ensino. Ele é encontrada 246 vezes na Bíblia, junto com suas variantes (ensinar, ensinará, ensinou etc).
O primeiro verso onde esta palavra é citada na Bíblia versão corrigida (a mais antiga no meio evangélico) é Ex. 4:12. O último é Ap. 2:20 e o verso central é Sl. 25:12.
Ex. 4:12 diz: “Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar”.
Aprendemos que Deus exorta Moisés a seguir em frente na missão que estava recebendo sem medo, pois não estava sozinho. O Pai o ensinaria como proceder ma empreitada gigantesca de libertar a nação de Israel da escravidão do Egito.
Já em Ap. 2:20 lemos: “Mas tenho contra ti que toleras Jezabel, mulher que se diz profetiza, ensinar e enganar os meus servos, para que se prostituam e comam dos sacrifícios de idolatria”.
Jezabel, se referindo não a uma pessoa, mais a uma prática de comportamento, que Ele condena e abomina.
Aqui a palavra ensino está num contexto de desaprovação por parte de Deus ante a atitude da igreja de Tiatira de “tolerância” com o ensino errado e enganoso.
Já o versículo central, Sl. 25:12 Diz “Qual é o homem que teme ao Senhor? Ele o ensinará no caminho que deve escolher”.
Davi declara que o “caminhar” de vitórias que todo cristão deseja vem com o temor a Deus que resulta em aprendizado.
De aprendiz humilde a uma pessoa tolerante para com ensinos diabólicos, o temor se perdeu no meio do caminho.
Que eu não perca a postura de humildade, e se  eu esqueci de muitas coisas que aprendi nestas mais de três décadas, pelo menos devo me lembrar: Eu estou em “obras”, ainda sou um aprendiz. Não devo perder a humildade!
Paz!


Nenhum comentário:

Postar um comentário