20 de mai de 2011

SOLIDARIEDADE

Meditando sobre esta palavra, lembrei do Solidarność (em português Solidariedade, de nome completo Niezależny Samorządny Związek Zawodowy "Solidarność" ou Sindicato Autónomo "Solidariedade") que foi fundado em 1980 nos Portos de Lenin. No inicio, muito combatido pelo comunismo, este sindicato ajudou na democratização da Polônia e na queda do império comunista.  
No dia 30 de Agosto de 1980, o primeiro-ministro polaco assinou com Lech Walesa um acordo que autorizava os sindicatos independentes. O acordo pôs fim à greve dos operários dos estaleiros navais de Gdansk. Os trabalhadores protestavam contra a subida dos preços e reclamavam a reintegração dos colegas Anna Walentynowicz e Lech Walesa, demitidos por atividades de oposição.
Walesa assumiu a liderança de um movimento que se estendeu a todo o país. Rapidamente, o Solidariedade agrupou 10 dos 13 milhões de trabalhadores da Polónia. Rapidamente, o sindicato assumiu uma dimensão política, contra o regime comunista.
Mas em Dezembro de 1981, o general Jaruszelski impôs a lei marcial e o sindicato tornou-se clandestino sendo os seus líderes presos.
Em 1989, o sindicato, novamente legalizado, venceu as eleições legislativas. Um sopro de liberdade que ajudou a derrubar o muro de Berlim. Em 2010 foi comemorado os 30 anos do sindicato.
Tudo isso me veio a mente quando alguns irmãos decidiram me ajudar numa situação delicada pela qual passei na semana passada. A solidariedade manifesta por estes irmãos lembra a mobilização dos trabalhadores lá na Polônia em favor de duas pessoas (Anna e Lech), dentre outros motivos é claro. Mas me aquece o coração ver o que a solidariedade pode causar. Me enche de esperança ações de generosidade gratuita que podem contagiar outros em favor de outros e assim, sucessivamente, melhorar a sociedade como um todo.  Não tenho a presunção de achar que a solidariedade manifesta a mim se compare  ou possa ter desdobramentos como os acima citados, mas não custa sonhar e crer.
Da minha parte, agradeço de coração a solidariedade e generosidade dos meus irmãos em Cristo e meu irmão de sangue. É na hora de aflição que o amigo se torna um irmão e o irmão se mostra um verdadeiro amigo.
Não posso me esquecer que toda generosidade será medida.


Em conformidade com o princípio do amor, devemos dar aos necessitados (2 Co. 8.2).

O próprio Deus medirá a generosidade do cristão e o recompensará.

A medida da benção e da recompensa a recebermos será proporcional ao nosso interesse pelos outros e à ajuda que lhes damos (2 Co. 9.6).

Lc. 6: 38 "Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos darão; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário