24 de mai de 2010

SEMPRE ETERNO

Ontem foi um culto diferente. Quem estava lá pode ouvir e ver um homem envergonhado.
Hoje, ainda estou um pouco chateado, pelo que disse, pelo que ouvi, mas principalmente pelo que senti.
Envergonhado por não me achar digno de ser um pastor de uma igreja tão maravilhosa como a Comunidade Deus Presente (não organização, mas organismo).
Envergonhado por não estar a altura desta honra.
Envergonhado por perder, em algum momento, a sensibilidade de ouvir de Deus sem "intermediários".
Estou diante da Palavra aberta no Sl. 102 por acaso. Os salmos são sempre bons quando nos sentimos um "caco"; este em especial.
Cito seu final, os versos 26 a 28 " A terra e o céu vão acabar, mas tú viverás para sempre. A terra e o céu se gastarão como roupas. Tu os trocarás como se troca de roupa, e eles serão jogados fora. Mas tu és sempre o mesmo, e a tua vida não tem fim. Os nossos filhos viverão em segurança, e os seus descendentes terão sempre a tua proteção".
Não tenho "medo" da vergonha resultante da confissão, sinto-me aliviado e dependente do Pai. Me sinto transparente, vulnerável, fragilizado até, mas com esperança de "recuperar" a unção perdida.
Como disse ontem, a maioria destas meditações não são minhas, bem como a maioria das mensagens que tenho pregado, então, vou começar de novo, como se fosse a "primeira vez". Fui "contaminado" pela facilidade da internet de se obter esboços já feitos, palavras de outros e coloquei apenas o "meu nome" em baixo, ou pelo menos dei a entender que elas eram minhas, direto do Pai para mim.
Sei que não é errado ler sermões de outros, aprender com eles, mas, sinto "vergonha" de, depois de tantos anos de ministério, recorrer a este recurso para ter o que pregar nos cultos. Não tenho "bebido" direto da fonte ultimamente.
Com nem eu lembro quais são as "minhas" meditações direto da Palavra, vou deletar todas as anteriores a esta, não desprezando-as, mas "dando o crédito" aos seus autores tirando-as das "minhas" meditações. Acho que você vai me entender.
Não sei se estou me expressando direito.
Perdão!
Peço perdão para você!

Nenhum comentário:

Postar um comentário