24 de nov de 2011

OS EGIPCIOS ODEIAM OS PASTORES

Gn. 46: 33-34: "Quando o rei lhes perguntar qual é a profissão de vocês digam que a vida inteira vocês são criadores de ovelhas, como foram os seus antepassados. Assim vocês poderão ficar morando na região de Gósem, pois os egípcios detestam os pastores de ovelhas".
 Quanto tempo eu não coloco minhas meditações neste blog; um pouco por falta de tempo, um pouco por falta de vontade e um pouco por achar que nem tudo deve ser postado!
Mas esta meditação de outro dia, achei interessante e muito significativa, principalmente para mim que sou pastor .
Me considero um pastor de ovelhas e não de "púlpito" (isso é outra meditação) portanto estou ciente do "ódio" dos egípcios.
 Entendo que, este povo pode representar aqueles que não amam a Deus e não comungam com Sua palavra, consequentemente, são inimigos do evangelho e daquele que o anunciam. 
Entendo também que todos os cristãos são "pastores" de ovelhas, no cumprimento da grande comissão e no testemunho diário.
Pastores pais, mães, empregados, patrões, adolescentes, jovens, adultos.
Pastores com um grande rebanho ou "meia dúzia" de ovelhas.
Pastores que brilham ou apenas clareiam levemente, mas são pastores, alvo do ódio do mundo.
Um cristão "lâmpada de geladeira" já faz diferença nas trevas da ignorância, da maldade, da indiferença e do pecado. Até mesmo este é odiado pelos egípcios. 
Tudo bem, meu medo não é do ódio do mundo, mas da falta de amor, da indiferença e do distanciamento de Deus e do pecador necessitado.
Tenho medo de ser um religioso que quer o "amor' de todo o mundo e não um cristão que quer o amor de Deus acima de tudo.
Eu preciso amar mais para combater o ódio, evangelizar mais para combater o ódio, orar mais para combater o ódio, "brilhar" mais, independente do ódio!  
É isso aí!   
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário